#Estudos

Você pode estar sendo tóxico em seu processo e nem sabe

Allie Santos
Publicado em
19 de fevereiro de 2021

É muito comum quando se é um artista iniciante, ou até mesmo quem já domina um pouco do processo de produção de uma arte, que esse processo acabe tendo um peso maior do que deveria e não me entenda mal, não quero dizer que ele não é importante, mas é que às vezes colocamos algumas pressões bem desnecessárias e que mais atrapalham do que ajudam.

Começando do começo, existe uma fórmula mágica de produção?

Não, é muito importante entender que esse texto não tem interesse nenhum em trazer uma verdade absoluta ou te empurrar uma “técnica” milagrosa pois processos não funcionam assim. O que aconselho é pegar o que será escrito aqui e tentar colocar em prática pra ver se funciona pra você.

O que normalmente acontece?

É muito comum quando você pega um freela ou mesmo está fazendo algo pessoal que você se sinta na obrigação de terminar tudo em um dia só, correto? Mas e se eu te contar que isso pode estar te fazendo mal?

Imagina a situação, vamos dizer que temos um prazo de uma semana pra finalizar uma pintura, ou seja, temos aí 84 horas em média para produzir essa pintura (isso já retirando as 8 horas de sono diárias e umas 4 horas livres para você) bastante tempo pra finalizar essa pintura né? Agora me responda uma pergunta comparando com a situação inicial, se você respeitar o processo você terá 84 horas para finalizar agora se você quiser terminar tudo em um dia, provavelmente vai ter aí umas 12 horas pra finalizar tudo… Qual pintura você acha que vai ser melhor finalizada?

Te enganaram quando falaram “estude ou trabalhe enquanto eles dormem” 

Essa frase é muito perigosa e acaba gerando uma pressão enorme do tipo: se a todo momento que olho tem uma arte nova sendo postada significa que estou ficando pra trás, então preciso terminar o máximo que puder em menor tempo. Porém a gente esquece que muitas vezes as pessoas na qual estamos comprando tem background completamente diferente dos nossos, que essa comparação é injusta e que se forçar nela pode acabar te gerando um sentimento de “não sou capaz” ou se insatisfação com sua arte final, o que pode até certo momento te afastar da vontade que todos temos de trabalhar com arte.

E como seria um processo “saudável”? 

O exemplo que vou dar aqui foi o que funcionou comigo, mas vai de você entender também como funciona se rítmo e também em qual área você tem mais dificuldades. Em uma pintura que demoraria uma semana eu divido basicamente em, segunda faço os rascunhos e possíveis thumbs, terça escolho a thumb ou rascunho que mais gostei e dou uma finalizada, às vezes acerto a perspectiva ou dou uma ajeitada na linha, quarta e quinta fica para a etapa de blocagem e teste de cores dependendo do tamanho da pintura, então sexta, sábado e domingo ficaria para o render final, dessa maneira eu consigo dar uma “descansada” de olhar tanto aquela pintura e consigo ir percebendo algo que não esteja tão certo evitando assim de eu só perceber isso depois de já ter avançado muito as etapas.

E se eu terminar uma etapa antes do que imaginei?

Esse momento é mágico, você vai apenas fechar seu photoshop (ou programa que esteja usando) e fazer qualquer outra coisa que não seja aquilo! Vai relaxar, jogar alguma coisa, assistir uma série ou até fazer outra arte mas aquela você já cumpriu o que você definiu que era fazer por exemplo os rascunhos em um dia.

E se eu não conseguir finalizar aquela etapa no tempo que pensei?

Olha, aqui depende de alguns fatores. Se for uma arte para um cliente, é aconselhável que isso não aconteça, mas sabemos que problemas acontecem, então te aconselho a conversar e ser franco com o cliente e nunca, NUNCA sumir ou não dar satisfação.

Agora se o projeto for pessoal, relaxa um pouco, por ser pessoal você é o seu próprio chefe então tente entender porque você atrasou aquilo? Você ficou procrastinando ou você demorou pois precisou ver um tutorial pra conseguir fazer algo que não estava conseguindo? A dica mais importante é sempre pensar racionalmente o motivo de não ter conseguido. Às vezes é sim que você procrastinou, mas na maioria das vezes aconteceu algo que não estava nos seus planos.

Já dizia Leticia Gillet: “feito é melhor que perfeito” 

Sempre que eu fico perdido nessa de produção ou fico frustrado com a quantidade de coisas que produzo sendo que queria fazer mais, eu corro sempre para a palestra do Topia 2019 da Letícia, em que ela fala exatamente sobre isso: respeitar de maneira racional o processo e o que é factível de você fazer, é mais importante qualidade do que quantidade, melhor um estudo ou pintura bem feito em mais tempo do que tentar acertar tudo em um dia e depois se frustrar por que errou coisas básicas. 

Pra ver essa palestra se você está se sentindo perdido(a) só ir nesse link AQUI!

Link do post copiado para a sua área de transferência

Enviar Comentário

Como criar personagens marcantes?

É difícil ser original no mundo atual; é muito provável que quase todas as ideias que você teve para uma Ler mais

Iniciando seu Caminho na Modelagem 3D

Iniciar os estudos e uma carreira em qualquer área é uma tarefa desafiadora! Muitas vezes não sabemos muito bem que Ler mais

Como fazer um roteiro interessante?

Quem nunca travou na hora de preparar um roteiro nem é gente… É anjo, né? Mas existem algumas formas de Ler mais

Livros que Todo Artista Precisa Conhecer

1. 333 ideias para tirar seu projeto do papel Se você tem uma ideia e constantemente se pergunta “por onde Ler mais