#arte digital #carreira

Tudo o que você precisa saber sobre Crypto Arte e NFT

Giulia Marchi
Publicado em
23 de abril de 2021

O que é isso de Crypto Arte que tá todo mundo falando???

Já falamos um pouco no nosso Instagram e também no nosso podcast com os artistas Lukas Azevedo e Guile Twardowski, mas nesse post vamos tentar trazer mais informações e referências de o que é e como funciona esse mercado de Crypto arte, NFT e tudo mais o que elas envolvem!

Primeiro de tudo, por que todo mundo está falando disso??

Já faz alguns anos que artistas começaram a explorar esse tipo de mercado online para venderem suas artes, mas principalmente a partir de 2020 que a crypto arte começou a se popularizar um pouco mais e agora, durante o último mês, estamos vendo o assunto explodir dentro da comunidade artística!

E todos estão falando disso porque, a algumas semanas, a Christie 's, uma das maiores casas de leilões do mundo, anunciou pela primeira vez a venda de uma crypto art.

A obra, que foi feita pelo artista Beeple, teve o leilão encerrado e o valor do lance final foi de apenas 69 milhões de dólares (382 milhões de reais)!!!

A Grimes, cantora pop, também vendeu uma série de 10 artes digitais por 6 milhões de dólares!

Acho que já deixamos claro que o mercado de crypto arte pode gerar bastante dinheiro, e quem não quer ganhar bem e poder viver um vida bem confortável vendendo sua arte, não é?

MAS não é apenas pelo dinheiro que todos estão falando sobre isso. Não apenas a crypto arte, mas alguns outros mercados que tem um sistema parecido trazem consigo um problema ambiental preocupante. 

Mas vamos por partes, primeiro: Mas o que é isso, pelo amor de deus???

Crypto Arte é um tipo de arte digital que pode ser única, porque é possível verificar a originalidade da peça! 

Assim como uma pintura original de Van Gogh pode ter sua autenticidade e propriedade comprovadas, a crypto arte pode ser verificada da mesma forma, usando um NFT (um token não fungível). Com isso, artes digitais, que tradicionalmente tem uma reprodutibilidade muito alta, se tornam únicas e, consequentemente, o valor agregado também sobre bastante.

E isso pode estar liderando uma ressignificação na arte digital, já que hoje em dia vemos um cenário em que ela é majoritariamente usada para fins mais comerciais, para o mercado de entretenimento, entre outras coisas, por mais maravilhosas e reproduzindo os mesmos conceitos da arte tradicional, essa sempre foi uma realidade bastante distante do circuito de artes tradicionais de galerias, leilões e colecionadores. Com isso, a arte digital tem a possibilidade de se igualar à arte tradicional no mesmo mercado.

Um NFT é um token especial que está vinculado a uma peça de crypto arte e que não pode ser replicado ou alterado. Você pode anexar um NFT a qualquer coisa: JPG, GIF, MP4, música e outros tipos de arquivos. Até memes, como o Nyan Cat, estão sendo vendidos. Também é necessário que o artista pague uma pequena taxa (que varia de acordo com  a plataforma que você usar) para upar e tokenizar sua imagem. Esse token é armazenado na blockchain.

Blockchain? Isso não é coisa de Bitcoin???

A tecnologia blockchain já existe e é usada há vários anos, é como um livro caixa que faz o registro de uma transação de moeda virtual (a mais popular é o Bitcoin), de forma que esse registro seja confiável e imutável.

Ou seja, a blockchain registra informações como: a quantia de moedas transferidas, quem enviou, quem recebeu, quando a transação foi feita e em qual lugar do livro ela está registrada.

Isso mostra que a transparência é um dos principais atributos da blockchain, já que qualquer computador pode acessar essas informações.

Mas a tecnologia blockchain não necessariamente se resume à compra e venda de criptomoedas. Para verificar a autenticidade de uma Van Gogh, um especialista precisa certificar a autenticidade a cada vez que a peça for vendida. No mundo da criptografia, por conseguir provar a autenticidade, a blockchain é o especialista em belas-artes. 

A Crypto Arte vive na sua própria blockchain, a Ethereum.

Esse tipo de tecnologia traz uma transparência que pode ser bastante positiva e que os artistas (e outros profissionais que também usam coisas parecidas) que trabalham com isso se sentem seguros para usar esse sistema.

A Ethereum

A crypto arte é comprada e vendida com um tipo específico de criptomoedas, chamada Ether (ETH).

Ether é uma criptomoeda da blockchain Etherium, onde os NFT ficam. Uma analogia: Ether são como fichas de um cassino. Cada cassino tem suas próprias fichas, que você precisa comprar com dinheiro para pagar, jogar e receber.

Assim como as fichas de cassino, você sempre pode sacar seus ganhos e receber em dinheiro “de verdade”. Embora alguns sites permitem que você compre crypto arte com cartões de crédito, quando você vende você sempre receberá em ETH.

A visão dos artistas e dos compradores

Vários artistas olharam para essa possibilidade de ganhar dinheiro muito rápido com crypto arte e se jogam nas diferentes plataformas de blockchain. Além de que os compradores veem os mercados de criptomoedas, crypto arte, entre outros, como possibilidade de fazer um bom investimento do seu dinheiro, já que a tendência atual é essas moedas ficarem cada vez mais bem valorizadas.

Tá, mas também me falaram que tem um grande problema envolvido nisso e até agora é só vantagem para todos. Qual é o problema?

São várias questões envolvidas. Primeiro, por mais que a tendência até agora tenha sido de valorização, não dá para prever o futuro desse mercado e a especulação financeira é uma preocupação. 

Também temos a questão de que já tem artistas tendo artes tokenizadas e comercializadas sem autorização, é relativamente fácil você ir atrás de quem está vendendo para checar se foi ela mesma quem fez, mas para as artes já vendidas, aí temos um problema um pouco maior, já que depois que elas são tokenizadas, esse registro não pode mais ser alterado nem desfeito… Não é muito comum, já que boa parte das plataformas tem um critério com os artistas que estão lá, mas já existem alguns casos. 

Os direitos autorais, no geral, não são um problema específico da crypto arte, como todos nós aqui já sabemos, não é? E sempre é um belo de um transtorno para tentar reverter a situação na justiça.

Mas a maior questão sendo discutida agora é o impacto ambiental

Sim… para que a blockchain continue operando e mantendo o registro de todas as transações, a quantidade de energia gasta é enorme!

Só o Bitcoin, por exemplo, consome em um ano uma quantidade de energia maior que toda Argentina (de acordo com uma pesquisa da Universidade de Cambridge).

No gráfico a seguir, você pode ver que se o Bitcoin fosse um país, ele estaria entre os 30 que mais consomem energia no mundo!

Com múltiplos desastres ambientais acontecendo no mundo em decorrência do aquecimento global, esse gasto de energia é uma causa legítima e real de preocupação.

Dentro da comunidade artística, no geral, as pessoas demonstram uma grande preocupação com as questões ambientais. Isso refletiu na decisão do ArtStation de não lançar um recurso específico para NFTs que estava sendo desenvolvido para o site, por causa da repercussão negativa que o anúncio disso teve entre a própria comunidade. 

A própria Etherium, por exemplo, não tem um sistema tão eficiente, a tecnologia que é usada lá não está tão bem desenvolvida ainda e, como já sabemos, tecnologias ultrapassadas tendem a gastar muito mais energia para funcionar do que as tecnologias mais modernas. Isso acontece pelo jeito que a Etherium funciona, não necessariamente a crypto arte em si, já que existem outras blockchains que são mais eficientes e gastam menos energia do que outras.

É bom ressaltar que a questão desse grande gasto de energia é bastante complexa, grande parte do mundo tem fontes de energias não renováveis e/ou poluentes ao meio ambiente, que geram essa grande preocupação mundial com o gasto de energia e que podem gerar diversos impactos no clima e nos ecossistemas ao redor do mundo, tanto que já é uma preocupação mundial. Não é como se para de tokenizar suas artes fosse resolver todos esses problemas, mas todo esse nosso estilo de vida dentro da internet tem um certo impacto nisso. 

Mesmo que você não queira fazer parte disso, é importante conhecer porque ela tem potencial para mudar o mercado de arte. 

Para você que quer saber mais, no final do texto você vai encontrar links para outros textos e conteúdos que também falam mais sobre o assunto e que usei para trazer todas essas informações. Aqui também vou deixar o link para quem quiser conhecer diretamente as principais plataformas de Crypto arte:

Mas, no final das contas, se a Crypto Arte é boa ou ruim, se você deve entrar nesse mercado ou não, fica a critério de cada artista. O que pesa mais para você?

Fontes:

O que é crypto arte? (podcast), Perguntas e Respostas // Mercado de Cryptoart (video), O Fenômeno NFT (video), Debunking EVERYTHING About NFTs — The Controversy, Technology, and How They Affect Artists, The Unreasonable Ecological Cost of CryptoArt, The problem of CryptoArt, Só se fala em crypto art e NFT art… Mas e agora? O que é isso?, NFTs explained, O que é blockchain? Indo além do bitcoin, Why collect digital art NFTs?, NFT License, Etherium Non-fungible tokens (NFT), Who Spends $140,000 on a CryptoKitty?, CryptoKitties, CryptoKitties FAQ, Crypto arte para artistas (vídeo), Consumo de eletricidade pelo bitcoin

Link do post copiado para a sua área de transferência

Enviar Comentário

8 passos para vender sua arte em dólar no Reddit

Chegou o seu momento, artista! O VH Artworks fez um thread maravilhosa lá no Twitter dele, mostrando como ele consegue Ler mais

Preciso trabalhar com o que amo pra ser feliz?

Você com certeza já deve ter escutado a bendita frase “trabalhe com o que você ama e nunca mais precisará Ler mais

Como largar o meu emprego e viver do que eu amo?

Se você está pensando dessa forma, talvez você esteja no início da sua carreira ou tenha acabado de descobrir esse Ler mais

Como escolhi um ilustrador para o meu livro?

Se você estranhou esse título, calma meu amigo artista. Neste texto de hoje vamos dar dicas para escritores e qualquer Ler mais